Foto: Reprodução

Discussão sobre o futuro de Ibaneis e a sucessão no Buriti ainda é prematura

Foto: Reprodução

Por Fred Lima

O governador do DF Ibaneis Rocha (MDB) completou apenas quatro meses no cargo no dia 01/5. Apesar do pouco tempo de gestão, as rodas de conversas da política local cravam o chefe do Palácio do Buriti na disputa presidencial de 2022, seja como cabeça de chapa ou vice de João Dória (PSDB). Só que o governador de São Paulo não sabe ao certo se será candidato à presidência, pois depende da desistência do presidente Jair Bolsonaro (PSL) de disputar a reeleição.

Caso o chefe do Executivo local resolva daqui três anos e meio entrar em um pleito nacional, o sucessor natural do MDB ao GDF é o presidente da Câmara Legislativa, Rafael Prudente.  Com poucos meses no cargo, o distrital vem ganhando musculatura política para sonhar com voos mais altos. O problema é que os senadores Izalci Lucas (PSDB) e Reguffe (sem partido) podem entrar no jogo e acirrar a eleição, diminuindo as chances do emedebista.

Toda avaliação feita hoje sobre 2022 não passa de especulação antecipada. Para ser candidato ao Palácio do Planalto como presidente ou vice, Ibaneis precisa primeiro deixar um excelente legado na capital. Do contrário, não haverá chances de conquistar a vaga mais cobiçada do país.

Com apenas 47 anos, o governador ainda tem idade de sobra para a política. Por enquanto, o caminho mais seguro é a reeleição. Mas como na política até boi voa, tudo pode acontecer.

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.