Foto: Reprodução

Nas entrelinhas: Recado de Ibaneis ao secretário de Saúde revela descontentamento

Foto: Reprodução

Por Fred Lima

Dois recados foram dados nesta quarta-feira (14) sobre a morte de Beatriz Viana da Silva, 19 anos, no último sábado (11). Beatriz sofreu uma parada cardiorrespiratória no momento em que era transportada pelo Corpo de Bombeiros do Distrito Federal ao Hospital Regional de Sobradinho e não resistiu. De acordo com o marido da vítima, houve recusa no atendimento no HRS.

O primeiro recado foi dado pelo governador Ibaneis Rocha (MDB), que solicitou a exoneração dos diretores do hospital desde segunda-feira (13). “Mas aí, se não confirmar a exoneração dos diretores, eu confirmo a do secretário”, afirmou categoricamente o chefe do Executivo local.

O segundo, pelo secretário de Saúde, Osnei Okumoto, em resposta ao que disse o governador. “Em casos como este, com morte, é normal o envolvimento emotivo das pessoas”, explicou. Ou seja, o chefe da pasta indicou que Ibaneis esteja emotivo com a morte de Beatriz, motivo pelo qual deu a tal declaração.

No Palácio do Buriti, uma fonte que pediu anonimato revelou ao blog que o trabalho de Osnei à frente da Saúde vem sendo questionado por membros do núcleo do governo. “Falta agilidade e trânsito entre o corpo médico. Se continuar assim, não sei se dura muito tempo no cargo”, revelou.

Quando disse que confirma a exoneração do secretário, caso os diretores do HRS não sejam destituídos, Ibaneis deu um ultimato em Okumoto pela lentidão em atender ao pedido.  O recado pode servir para que o titular da Saúde reavalie seu desempenho e até faça mudanças no quadro da secretaria.

Só no governo passado, quatro nomes foram anunciados para ocupar a Saúde. Apenas o último conseguiu permanecer no cargo por dois anos.

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.