Francisco: o Papa que simpatiza com o ‘Lula Livre’ e vai na contramão de São Francisco de Assis

Foto: Twitter/Reprodução

Por Fred Lima

Tome cuidado com a sua vida, talvez ela seja o único evangelho que as pessoas leiam.

Ao ter se comprometido em fazer um pontificado baseado nas ações de Giovanni di Pietro di Bernardone, Jorge Mario Bergoglio se esqueceu da frase acima, de autoria do santo de Assis, que abdicou da riqueza familiar para se dedicar aos pobres e animais.

Francisco começou bem o seu pontificado, mas se perdeu nas declarações modernistas, que soaram estranhas até mesmo para os cardeais. O sucessor de Pedro chegou ao ponto de dizer que “Deus te fez assim” para um homossexual, sendo que o Catecismo da Igreja diz:

“Apoiando-se na Sagrada Escritura, que os apresenta como depravações graves a Tradição sempre declarou que «os atos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados». São contrários à lei natural, fecham o ato sexual ao dom da vida, não procedem duma verdadeira complementaridade afetiva sexual, não podem, em caso algum, ser aprovados”. (CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA. 3ª. ed. Petrópolis: Vozes; São Paulo: Paulinas, Loyola, Ave-Maria, 1993.).

No campo político, o Santo Padre é contrário ao muro na fronteira entre EUA e México, à política armamentista e o neoliberalismo. Apesar de ter dito que o “comunismo roubou a bandeira cristã” por causa da caridade, o Papa parece ser bem alinhado com os ideais da esquerda.

Indiretamente, Francisco se posiciona a favor de um preso cujo partido defende várias bandeiras contrárias ao catolicismo, como a liberação do aborto, a descriminalização das drogas, a ideologia de gênero etc. Talvez os assessores do Sumo Pontífice – são adeptos da Teologia da Libertação? – precisam mantê-lo informado sobre a política brasileira.

Ao discursar contra juízes tendenciosos no auge do denuncismo promovido pelo site Intercept, além de receber a camiseta do movimento “Lula Livre”, o líder da Igreja Católica acabou tomando o lado errado e revelando uma faceta socialista, algo que os seus dois últimos antecessores eram contrários.

A herança maldita de Francisco será a confusão gerada entre o cristianismo e o socialismo, fora o relativismo teológico. O mesmo Cristo que pediu para que se visitem os presos expulsou à base de chicotadas os vendilhões do templo, ladrões de outrora.

Coincidências estranhas, que podem significar uma defesa velada de um condenado pela Justiça brasileira em duas instâncias, o Papa não seguiu o conselho de São Francisco de Assis e acabou contribuindo para o fortalecimento da tese de que o crime compensa em nome da distribuição de renda, dando as suas bênçãos.

Triste página do atual pontificado.

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.