NAS ENTRELINHAS: Apesar de gritar ‘Lula Livre’, Wasny reconhece erros do PT

Por Fred Lima

“O PT tem que fazer encontro com a história do Brasil. É preciso uma profunda autocrítica. Não é justificar, mas dar explicações e enfrentar a vida como ela é. E não achar que as pessoas têm de pensar de um jeito. Em Brasília, o partido deixou muito a desejar”, afirmou o ex-distrital Wasny de Roure ao portal Metrópoles.

O PT é aquele tipo de partido que segue o darwinismo selvagem ao pé da letra. A legenda de Lula foi ingrata com Fernando Henrique, que fez uma transição impecável em 2002. No DF, menosprezou Cristovam Buarque e vários outros nomes históricos que ajudaram a fundá-la.

Não existe projeto de governo. O que é importa é se perpetuar no poder. Foi isso que a sigla fez quando governou o país. No auge de sua megalomania, Lula tratou Heloísa Helena e outros aliados como inimigos de sua gestão. Engana-se quem pensa que o ex-presidente não controla os movimentos de seu partido, mesmo estando preso em Curitiba.  

Wasny quis dar um passo maior que as pernas ao se candidatar ao Senado Federal, mas a forma como foi tratado durante a campanha passada mostra que o PT joga homens no mar e vira as costas para aqueles que não lhe servem mais.

No final das contas, apesar de ser de esquerda, Wasny nunca teve a cara do PT.   

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.