Foto: Reprodução

ELEIÇÕES 2020: Instituto de pesquisa que aponta Lêda na frente em Valparaíso tem 4 meses de atuação e 7 processos por fraude

Proprietária da Podium Pesquisas era servidora da Assembleia Legislativa de Goiás, lotada no gabinete de deputado do partido da vice da tucana

Por Fred Lima

A Justiça e o Ministério Público Federal abriram investigação para apurar possível fraude na realização de pesquisas eleitorais em Valparaíso de Goiás. O fato foi denunciado pela coligação “Pra Frente Valparaíso” após o resultado do instituto Podium Pesquisas, que apontou a candidata Lêda Borges (PSDB) isolada na frente com 14% de diferença para o segundo colocado, o prefeito Pábio Mossoró (MDB).

A grande diferença entre os dois primeiros colocados causou estranheza no meio político do município. No dia 6 deste mês, o renomado instituto Real Time Big Data, que atua em todo o país, divulgou pesquisa onde Pábio aparecia com 35% das intenções de voto na estimulada. Lêda estava atrás, com 22%. Desde então, não ocorreu nenhum evento que pudesse manchar a imagem do prefeito, o que poderia explicar a inversão de posição demonstrada no levantamento da Podium.

Ao contrário da pesquisa realizada pela Real Time Big Data, que foi divulgada pela TV Record e vários veículos de imprensa do DF e Goiás, o levantamento da Podium foi publicado apenas por poucos sites de notícias da região de Valparaíso. O único veículo da grande mídia que fez matéria sobre o assunto foi o Jornal de Brasília.

A Podium “possui abertura na data de 27/5/2004 e encontrava-se inapta, curiosamente alterando sua situação cadastral em data próxima ao período eleitoral”, diz a denúncia. Além disso, a empresa tem 7 processos na Justiça Eleitoral por descumprimento das normas eleitorais de pesquisa.  

Fonte: Justiça Eleitoral

De acordo com a denúncia, a sócio-administradora do instituto, Andrea Rosa de Oliveira, era lotada no gabinete do deputado estadual Jeferson Rodrigues Lemos (Republicanos), mesma legenda da candidata a vice-prefeita na chapa de Lêda, Maria Yvelônia.

A petição questiona ainda a falta de critérios técnicos do levantamento, como a ausência de detalhamento por bairro, o que gera a suspeita de as entrevistas terem sido feitas mais nos setores onde a tucana é popular, como o Céu Azul.

A pesquisa foi realizada entre os dias 16 e 17 de outubro, ouvindo 492 eleitores de todas as regiões de Valparaíso. O levantamento foi registrado na Justiça Eleitoral, sob o protocolo GO-03303/2020.

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.