Carlos Bolsonaro, o desagregador-geral da República

Por Fred Lima

Todos sabem que defendo as boas intenções e o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL). No entanto, não dá para tapar os olhos para as intromissões e as chatices do vereador Carlos Bolsonaro. O filho do presidente tem de ganhar um apelido. Já sei: desagregador-geral da República.

Bolsonaro aparece em foto ao lado dos ex-presidentes José Sarney e Fernando Collor, mas se o vice Hamilton Mourão é fotografado junto com o arquiteto do Plano Real, Fernando Henrique Cardoso, Carlos fica nervoso e vai cobrar o pai. Vale lembrar que Sarney foi o presidente da hiperinflação, e Collor do confisco da poupança.

Yoko Ono deu o empurrão que faltava para o fim da maior banda do planeta. Se não tomar cuidado, Carlos levará o governo do pai para o abismo das intrigas, minando as chances de a gestão dar certo no campo da governabilidade. Hoje é Mourão. Amanhã pode ser Onyx Lorenzoni ou Paulo Guedes.

Está na hora do presidente tirar o pirulito da mão de Carlos antes que seja tarde demais.

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.