Viva o circo!

Por Carlos Augusto Pinto

Mataram um cacique da tribo Waiãpi, no Amapá. Foi um crime, um assassinato. Porém, o Fantástico precisava fazer uma matéria e era preciso um cenário apropriado. E teve produção, ah, isso teve.

Um grupo de índios sem pintura de guerra e limpinhos, dançando e simulando uma cena de guerra, não é fácil de conseguir. Um senador da República fazendo selfie fora do plenário também não é nada fácil, mas lá estava em uma estrada amapaense empoeirada, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), no banco traseiro do seu carro, dando pitaco sobre o óbvio: “Índios vêm sendo perseguidos etc”.

Randolfe pegou uma boa carona midiática, afinal é um ativista de boa verve e respeitável, além de inteligente. Além disso, é um queridinho da Rede Globo e 5 segundos pesam junto aos eleitores.

Mas vendo e revendo as imagens produzidas pelo Fantástico, percebo que no momento da dança dos brancos (gringos), mocinhas bonitas com penachos prontas para  “uma gira de umbanda” e felizes representantes de ONGs, tinha um infiltrado militante do PCdoB, de cavanhaque, vestido com uma camisa vermelha, onde se lia: UNE. Avacalhou tudo.

Um monte de gente jovem segurando uma espécie de toalha com dizeres pedindo vida e paz para os índios Waiãpi, que habitam uma área muito cobiçada por desmatadores e mineradores bandidos.

A matéria ainda explorou o lado investigativo com sutileza: autoridades afirmaram que pode ter sido uma guerra entre tribos, disputa de liderança, onde foram usadas armas pesadas. Pode. Não mais do que isso.

COLUNISTA

Carlos Augusto Teixeira Pinto é carioca, vascaíno, de Vila Isabel, passou pelo Instituto de Letras e Ciências e fez estágio nos extintos Gazeta de Notícias e Jornal dos Sports, ambos do Rio de Janeiro. Foi produtor de rádio e TV no Rio e debatedor na Rádio Globo de São Paulo. Repórter especial nas rádios Nacional e Tupi do Rio. Repórter nas revistas Manchete e Fatos, além da Ele & Ela, revista masculina, concorrente da Playboy. Foi também correspondente da Editora Bloch em Recife. Trabalhou na Ultima Hora do Rio e Brasília, além do Jornal de Brasília e na Radiobrás. Repórter político por mais de vinte anos cobrindo Congresso e Planalto. E outros mais.

*Os artigos assinados serão de responsabilidade exclusiva de seu autor, não refletindo, necessariamente, a opinião do Blog.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.