Juízes governantes

Por Fred Lima

Não é de hoje que a atuação do Poder Judiciário vem sendo discutida por diversos setores da sociedade. Interferências descabidas no Executivo e decisões que favorecem o banditismo do colarinho branco são ações que colocam em xeque a credibilidade de um Poder que é responsável pelo equilíbrio do peso da balança na República.

Em tempos de pandemia, o Ministério da Saúde e as secretarias estaduais do setor são responsáveis pelas medidas de prevenção e contenção do coronavírus. O problema é que juízes de toga preta agora querem vestir jaleco branco, apitando em uma área onde não têm conhecimento técnico, gerando atritos com o Poder Executivo e prejudicando o retorno do aquecimento econômico.

No DF, a juíza federal titular Katia Balbino de Carvalho Ferreira, da 3ª Vara Federal Cível, suspendeu no sábado (20) a retomada de atividades não essenciais, o que aumenta o impacto negativo na economia brasiliense. Bares, restaurantes e academias estão com a corda no pescoço. Como disse, o órgão responsável por determinar medidas protetivas contra o Covid-19 é a Secretária de Saúde, que está a par de toda a situação, não Vara Federal, que não é expert em saúde pública.

Mais uma vez, um Poder quer se sobressair ao outro. No Brasil, se crítica os membros do Executivo, do Legislativo, mas não se pode reprovar os integrantes do Judiciário. Estamos vivendo uma espécie de ditadura jurídica, com seguinte slogan: “Justiça, ame-a ou será condenado”.

Passou dos limites!

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.