NAS ENTRELINHAS: Indicação de Eduardo para embaixada em Washington foi o maior erro do presidente Bolsonaro

Foto: Reprodução

Por Fred Lima

Com pouco mais de sete meses, o governo Jair Bolsonaro conseguiu estabelecer uma nova forma de relação entre o Executivo e o Legislativo, sem o toma lá dá cá do presidencialismo de coalizão de outrora. Além disso, a economia começa a respirar por causa do modelo liberal adotado pelo ministro Paulo Guedes.  

No campo econômico e político, o governo Bolsonaro vem fazendo um bem imenso ao país. Todavia, como nem tudo é perfeito, o presidente cometeu uma grande falha ao insistir na indicação de seu filho, deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para a embaixada brasileira em Washington.

Pode não ser ilegal, mas a indicação de Eduardo é imoral, ainda mais sendo feita por um presidente que venceu a eleição amparado pelos fundamentos da nova política, onde o nepotismo, direto ou indireto, é abominável.

O gesto soou estranho até mesmo nas hostes do PSL. Parece que foi algo combinado no café da manhã da família, sem que ninguém mais fosse consultado.

Com o ato, a imagem incorruptível de Bolsonaro passa agora a ser questionada pela oposição. Sabendo disso e com medo de uma provável derrota no Senado, o presidente cogita rever a indicação.

É bom que volte atrás e reconheça o erro antes que seja tarde demais.

Da Redação

 

2 thoughts on “NAS ENTRELINHAS: Indicação de Eduardo para embaixada em Washington foi o maior erro do presidente Bolsonaro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.