NAS ENTRELINHAS: PSDB e o risco iminente de morrer na praia

Por Fred Lima

Quando o DEM ia expulsar o então governador do DF José Roberto Arruda por causa do escândalo da Caixa de Pandora, a velha política criticou o ato, interpretando-o como radical. Algo parecido aconteceu nessa quarta-feira (21) com o deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) que, até o momento, vem tendo um destino partidário diferente do de Arruda.

A velha guarda tucana rejeitou o pedido de expulsão do mineiro, conservando a imagem de mais do mesmo do PSDB. Com isso, a legenda de Mário Covas em nada difere das demais que têm integrantes envolvidos em corrupção, como o PT, PP etc.

O PSDB perdeu a oportunidade de dar uma resposta à sociedade brasileira, que depositou 51 milhões de votos em Aécio na eleição de 2014. Para esses eleitores, o partido se igualou ao PT na defesa de envolvidos em escândalos de corrupção.

O pífio resultado eleitoral de Geraldo Alckmin no pleito passado revela a descrença da população com o PSDB.

Ou a sigla expulsa Aécio ou então vai acabar morrendo na praia com ele.

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.