NAS ENTRELINHAS: ‘Terra do Nem’, entorno do DF sofre por conta do descaso de governos passados. Ou: Izalci contra o dízimo de Caiado

Foto: Reprodução

Por Fred Lima

Os municípios goianos do entorno do DF merecem atenção especial dos governos de Goiás e de Brasília. A região virou a “Terra do Nem”, nem Goiás e nem DF, uma espécie de híbrida cuja paternidade até o início do ano não era assumida para valer por nenhum dos dois lados.

O governador Ibaneis Rocha (MDB) vem fazendo a sua parte. Ronaldo Caiado (DEM) também parece que tem demonstrado preocupação maior com a Região Metropolitana que o seu antecessor.

Nesta quinta-feira (22), os governadores do DF e Goiás estiveram na sede da Prefeitura de Águas Lindas de Goiás recebendo uma proposta para viabilizar o consórcio que vai integrar o transporte coletivo de mais de 30 municípios que compõem a Região Integrada de Desenvolvimento do Entorno (Ride).

O Executivo Federal se responsabilizará pela gestão, que fará parte da integração de mobilidade que hoje está em curso na capital do país.

Quando senador, Caiado apresentou um projeto de lei que determinava a reserva de 10% do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) para ser aplicado nos municípios que compõem a RIDE. Ontem (21), o senador Izalci Lucas (PSDB-DF), presidente da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado (CDR), deu parecer contrário ao PL.

O tucano está correto em sua avaliação: “O DF vem ao longo dos últimos anos sempre contribuindo para o desenvolvimento das cidades do Entorno, porém, não podemos ficar responsáveis por estar sempre destinando recursos para a região e os outros estados não fazerem o dever de casa. A população dessas cidades precisam ter uma melhor qualidade de vida”. 

No caso dos municípios goianos, o dever de casa deve primeiro ser feito pelo governo de Goiás. O DF entra como agente passivo, não ativo, contribuindo com o Palácio das Esmeraldas em favor das políticas para a região, visto que não pode ser diferente pelo simples fato de as cidades não fazerem parte de sua área geográfica.

O entorno já sofreu bastante com promessas mirabolantes, como a passagem de R$ 1,00 prometida pelo então candidato Marconi Perillo (PSDB) na eleição de 2014, o que nunca se concretizou.

Com Caiado e Ibaneis, a história pode ser diferente.

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.