Flávia Arruda vs. Paula Belmonte: a guerra antecipada de 2022

Por Fred Lima

Tudo indica que daqui três anos será a vez das mulheres na política local. Erika Kokay (PT), Flávia Arruda (PR) e Paula Belmonte (PPS) devem entrar na disputa para os cargos majoritários do DF, além da senadora Leila do Vôlei (PSB), cotada para disputar o Governo do Distrito Federal.

Erika está em seu terceiro mandato de deputada federal e só não disputou o Palácio do Buriti na eleição passada porque não quis. Seus planos devem incluir o governo ou Senado. Se não sair da zona de conforto, a petista enterrará os sonhos de seu partido de retornar ao Executivo local.

Flávia pode disputar o GDF como cabeça de chapa ou vice-governadora. A terceira opção é brigar pela única vaga do Senado. Se seguir a trajetória do marido, o ex-governador José Roberto Arruda, a deputada alçará voos maiores. Nos bastidores, corre o burburinho de que a ex-primeira-dama trabalha para ser vice do senador Izalci Lucas (PSDB-DF) ao Buriti. E é justamente aí que entra a rixa com Paula, que vem se destacando na Câmara dos Deputados.

Suplente de Izalci, Luiz Felipe, marido de Belmonte, pode ficar com a vaga de senador, caso o tucano vença o pleito ao governo do DF. Todavia, para que a felicidade seja completa, de quebra anseia que a esposa seja vice, não Flávia.

A guerra entre os Arruda e os Belmonte vai muito além da briguinha dessa sexta-feira (31) no Memorial JK. Na ocasião, Paula teria ficado irritada por não ter sido chamada para compor à mesa e discursar ao público no programa social feito em parceria entre o Ministério da Cidadania e o GDF. Enquanto isso, Flávia já se encontrava presente na mesa do evento.

A eleição 2022 já começou nos bastidores e promete mexer com os ânimos dos pré-concorrentes daqui para frente.

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.